Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.bdtd.uerj.br/handle/1/16398
Tipo do documento: Tese
Título: Raça e nação na origem da política social brasileira: união e resistência dos trabalhadores negros
Autor: Ferreira, Gracyelle Costa. 
Primeiro orientador: Almeida, Carla Cristina Lima de
Primeiro membro da banca: Almeida, Magali da Silva
Segundo membro da banca: Rocha, Roseli da Fonseca
Terceiro membro da banca: Silva, Ana Paula Procópio da
Quarto membro da banca: Almeida, Guilherme Silva de
Resumo: A origem da política social no Brasil tem sido atrelada à Lei Eloy Chaves que em 1923 instituiu as Caixas de Aposentadoria e Pensões (CAPs) para ferroviários, três anos depois estendida a marítimos e portuários. O objetivo geral desta pesquisa é propor uma análise crítica sobre o surgimento da política social considerando as relações étnico-raciais gestadas na sociedade brasileira. Para tanto essa tese inicia com a afirmação de um possível protagonismo negro entre beneficiários da primeira política social no Brasil. Nega a política social de Eloy Chaves como aquela que inaugura esse modelo de proteção social, apresentando suas expressões afrodiaspóricas nas Américas e Caribe nos séculos XIX e XX. E, por fim, produz uma síntese sobre as possibilidades para o entendimento da política social brasileira como parte do projeto de nação que justamente objetivou eliminar o sujeito negro! Ou seja, os resultados desse trabalho demonstram o quão contraproducente é afirmar o protagonismo negro na política social brasileira oferecida pelo Estado, sem as devidas mediações. E que os sentidos da solidariedade e dos laços de proteção social criados e mantidos na Diáspora Africana nas Américas detinham sentidos diversos daqueles propostos pela política social institucional. Conclui que destacar a presença negra entre os “beneficiados” pela Lei Eloy Chaves (1923 e 1926) é importante, num país que apaga qualquer tipo de intervenção e resistência política de sujeitos negros. Entretanto, é preciso compreender as contradições que envolvem a própria política social, situando-a no tempo e no espaço. No caso brasileiro, considerar a emergência da política social e ignorar o projeto de nação e, por conseguinte, a racialização das relações sociais é no mínimo insuficiente. A pesquisa que resultou na presente tese se valeu de metodologia qualitativa, por meio de consulta a dados primários – jornais do início do século XX, imagens e documentação de arquivos públicos; e, secundários, mormente pesquisa bibliográfica nos campos da História Social do Trabalho, Antropologia, Sociologia e Serviço Social.
Abstract: The origin of social policy in Brazil has been linked to the Eloy Chaves Law, which in 1923 instituted the Retirement and Pension Funds (CAPs) for railroad workers, and three years later extended to seafarers and port workers. The main goal of this dissertation was to propose a critical analysis of the emergence of social policy considering the ethnic-racial relations created in Brazilian society. To do so, this dissertation begins with the affirmation of a possible Black protagonism among beneficiaries of the first social policy in Brazil and denies Eloy Chaves' social policy as the one that inaugurates this model of social protection, presenting the afro diasporic expressions in the Americas and the Caribbean. And, finally, it produces a synthesis about the possibilities for understanding Brazilian social policy as part of the nation-state’ project that precisely aimed to eliminate the Black subject. In other words, the results of this work demonstrate how counterproductive it is to affirm the Black protagonism in Brazilian social policy offered by the State, without the correct mediation. And that the meanings of solidarity and social protection bonds created and maintained in the African Diaspora in the Americas held different meanings from those proposed by the institutional social policy. The research that resulted in the present dissertation made use of qualitative methodology, through consultation of primary data - newspapers from the beginning of the 20th century, images and documentation from public archives; and, secondary, mainly bibliographic research in the fields of Social History of Work, Anthropology, Sociology, and Social Work.
Palavras-chave: Serviço social
Diáspora africana
Política social
Racismo
Trabalhadores negros
Nação
African diaspora
Racism - Brazil
Black workers
Social policies
Nation
Área(s) do CNPq: CIENCIAS SOCIAIS APLICADAS::SERVICO SOCIAL::SERVICO SOCIAL APLICADO::SERVICO SOCIAL DO TRABALHO
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Sigla da instituição: UERJ
Departamento: Centro de Ciências Sociais::Faculdade de Serviço Social
Programa: Programa de Pós-Graduação em Serviço Social
Citação: FERREIRA, Gracyelle Costa. Raça e nação na origem da política social brasileira: união e resistência dos trabalhadores negros. 2020. 293 f. Tese ( Doutorado em Serviço Social) - Faculdade de Serviço Social, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2020. .
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://www.bdtd.uerj.br/handle/1/16398
Data de defesa: 8-Abr-2020
Aparece nas coleções:Doutorado em Serviço Social

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Tese - Gracyelle Costa Ferreira - 2020 – Completa.pdf4,26 MBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.