Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.bdtd.uerj.br/handle/1/17134
Tipo do documento: Dissertação
Título: Universidade pública, neoliberalismo e produção de subjetividade: uma cartografia discursiva da “crise da UERJ”
Título(s) alternativo(s): Public university, neoliberalism and production of subjectivity: a discursive cartography of “the UERJ crisis”
Autor: Torres, Ariane Oliveira de Sousa 
Primeiro orientador: Rodrigues, Bruno Rêgo Deusdará
Primeiro coorientador: Giorgi, Maria Cristina
Primeiro membro da banca: Rocha, Décio Orlando Soares da
Segundo membro da banca: Almeida, Fábio Sampaio de
Resumo: Esta dissertação busca discutir efeitos de sentido que o avanço incessante de uma racionalidade neoliberal vem produzindo nas discussões político-econômicas sobre universidades públicas, tendo como ponto de inflexão o período que ficou conhecido como “crise da UERJ”, nos anos de 2016 e 2017. Para isso, nos respaldamos na analítica da governamentalidade de Foucault (2008), para uma investigação dos procedimentos técnicos e formas de instrumentalização da dominação exercida pelo governo sobre os sujeitos e da capacidade que dispositivos governamentais possuem para conduzir o modo de agir dos indivíduos. Optamos, então, pelo posicionamento ético-político da cartografia (DELEUZE; GUATTARI, 2011; PASSOS, KASTRUP; ESCÓSSIA, 2015; ROLNIK, 2016), que privilegia as implicações do pesquisador em relação ao seu objeto de pesquisa, recusando uma perspectiva de ciência fundada em uma pretensa neutralidade; valoriza o próprio processo do pesquisar, em detrimento à comprovação de hipóteses; e possibilita o mapeamento das relações de forças que atuam na constituição de formas instituídas. No que diz respeito à linguagem – compreendida não como um mero instrumento de representação do real, mas sim um meio de intervir na relação do sujeito e seu entorno (ROCHA, 2006) –, nosso córpus foi construído por textos de opinião publicados em jornais digitais que tinham como tema a “crise da UERJ”. Como resultado, contrariando a hipótese inicial de que haveria duas formações discursivas (FOUCAULT, 2015) totalmente opostas, percebemos que há uma prática discursiva (MAINGUENEAU, 2008; FOUCAULT, 2015) neoliberal que perpassa todos enunciados analisados, sinalizando que, mesmo que na esfera macropolítica possa existir uma polaridade nos posicionamentos políticos, na esfera micropolítica, as subjetividades têm sido capturadas por uma racionalidade que busca, por meio da gestão financeira, hierarquizar e ranquear relações sociais pela produtividade, enfraquecendo as possibilidades de relações de trabalho pautadas na coletividade
Abstract: This thesis aims at discussing the effects of meaning produced by the continual advance of a neoliberal rationale in political and economic debates on public universities, focusing on the period known as “the UERJ crisis”, in the years of 2016 and 2017. For this purpose, we have the support of Foucault’s (2008) analytics of governmentality to carry out an investigation on the technical procedures and forms of instrumentalization of the domination deployed by the government over subjects, as well as on the capacity of governmental apparatuses to direct how individuals should act. We have, therefore, opted for the ethical-political position of cartography (DELEUZE; GUATTARI, 2011; PASSOS, KASTRUP; ESCÓSSIA, 2015; ROLNIK, 2016), which favors the researcher’s implications with their object of research, rather than a perspective of science based on a purported neutrality; values the process of researching, rather than the confirmation of hypotheses; and makes it possible to map relations of forces that act in the construction of instituted forms. In regards to language – conceived not as a mere instrument that represents the real, but rather as a means of intervening in relations between the subject and their surroundings (ROCHA, 2006) –, our corpus was constructed from opinion pieces, published in online newspapers, which had “the UERJ crisis” as their theme. As a result, going against the initial hypothesis that there were two opposing discursive formations (FOUCAULT, 2015), we noticed an overarching neoliberal discursive practice (MAINGUENEAU, 2008; FOUCAULT, 2015) through all analyzed statements. This suggests that even if, in the macropolitical sphere, there might be polarizing political positions, in the micropolitical sphere, subjectivities have been captured by a rationale that seeks, through financial management, to hierarchize and rank social relations on the basis of productivity, weakening the possibilities of work relations rooted in collectivity
Palavras-chave: Universidade pública
Neoliberalismo
Prática discursiva
Cartografia
Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Crises
Análise do discurso
Universidades e faculdades públicas
Public university
Neoliberalism
Discursive practice
Cartography
Área(s) do CNPq: LINGUISTICA, LETRAS E ARTES::LINGUISTICA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Sigla da instituição: UERJ
Departamento: Centro de Educação e Humanidades::Instituto de Letras
Programa: Programa de Pós-Graduação em Letras
Citação: TORRES, Ariane Oliveira de Sousa. Universidade pública, neoliberalismo e produção de subjetividade: uma cartografia discursiva da “crise da UERJ”. 2021. 85 f. Dissertação (Mestrado em Letras) – Instituto de Letras, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2021.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://www.bdtd.uerj.br/handle/1/17134
Data de defesa: 12-Mar-2021
Aparece nas coleções:Mestrado em Letras

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação - Ariane Oliveira de Sousa Torres - 2021 - Completa.pdf580,14 kBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.