Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.bdtd.uerj.br/handle/1/18519
Tipo do documento: Tese
Título: Crioablação da fibrilação atrial: eficácia, segurança e análise da curva de aprendizado do método
Título(s) alternativo(s): Cryoablation for atrial fibrillation: efficacy, safety and learning curve
Autor: Boghossian, Silvia Helena Cardoso 
Primeiro orientador: Rocha, Ricardo Mourilhe
Primeiro coorientador: Barbosa, Eduardo Corrêa
Primeiro membro da banca: Albuquerque, Denilson Campos de
Segundo membro da banca: Esporcatte, Roberto
Terceiro membro da banca: Scanavacca, Maurício Ibrahim
Quarto membro da banca: Zimerman, Leandro Ioschpe
Resumo: O isolamento elétrico das veias pulmonares é reconhecidamente base fundamental para o tratamento não farmacológico da fibrilação atrial (FA) e, portanto, tem sido recomendado como passo inicial, na ablação de FA em todas as diretrizes. A técnica com balão de crioenergia, embora amplamente utilizada na América do Norte e Europa, ainda se encontra em fase inicial em muitos países em desenvolvimento, como o Brasil. Os objetivos de nossos estudos foram avaliar o sucesso e a segurança da técnica de crioablação em nosso serviço, em pacientes com FA paroxística e persistente e a curva de aprendizado com esta nova tecnologia. No primeiro estudo, cento e oito pacientes consecutivos com FA sintomática e refratária ao tratamento farmacológico foram submetidos à crioablação para isolamento das veias pulmonares. Os pacientes foram separados em dois grupos, de acordo com a classificação convencional da FA: paroxística (duração de até sete dias); e persistente (FA por mais de sete dias). Dados de recorrência e segurança do procedimento foram analisados respectivamente como desfechos primário e secundário. Considerando a evolução após os 3 meses iniciais, foram observadas 21 recorrências (19,4%) em período de um ano de seguimento. As taxas de sobrevivência livre de recorrência nos grupos paroxístico e persistente foram de 89,2% e 67,4%, respectivamente. O tempo médio do procedimento foi de 96,5 ± 29,3 minutos e o tempo médio de fluoroscopia foi de 29,6 ± 11,1 minutos. Foram observadas cinco (4,6%) complicações, nenhuma fatal. O nível de significância adotado foi de 5%. O estudo apresentou resultados semelhantes a outros na literatura e concluiu que a crioablação para isolamento elétrico das veias pulmonares é um método seguro e eficaz para tratamento da FA. Em nosso segundo estudo, avaliamos a diferença dos resultados do procedimento, em função da curva de aprendizado da equipe. Para esta análise, os pacientes foram divididos em quartis de acordo com a ordem cronológica de realização dos procedimentos, sendo o quartil um o mais remoto e o quartil quatro o mais recente. A distribuição das variáveis idade, aumento de AE, CHA2DS2VASc, classificação da FA e taxa de recorrência no Blanking foram semelhantes entre os quartis e não apresentaram diferença estatística significante. Observamos uma diminuição progressiva da taxa de recorrência até um ano, uma diminuição progressiva das variáveis tempo de fluoroscopia e tempo de AE e um aumento progressivo da proporção de pacientes que atingiram critérios estabelecidos de eficácia da lesão tecidual (tempo para isolamento da veia menor 40 segundos e temperatura mínima de resfriamento menor que -40°C). Em nosso segundo estudo a análise evolutiva das variáveis em função das datas dos procedimentos sugeriu uma estabilização da curva de aprendizado a partir de 100 procedimentos realizados.
Abstract: The electrical isolation of the pulmonary veins is recognized as a fundamental basis for the non-pharmacological treatment of atrial fibrillation (AF) and, therefore, has been recommended as an initial step in the ablation of AF in all guidelines. The cryo-energy balloon technique, although widely used in North America and Europe, is still at an early stage in many developing countries, such as Brazil. The objectives of our studies were to evaluate the success and safety of the cryoablation technique in our service, in patients with paroxysmal and persistent AF and the learning curve with this new technology. In the first study, one hundred and eight consecutive patients with symptomatic AF and refractory to pharmacological treatment, underwent cryoablation to isolate the pulmonary veins. The patients were separated into two groups, according to the conventional classification of AF: paroxysmal (lasting up to seven days); and persistent (AF for more than seven days). Procedure recurrence and safety data were analyzed as primary and secondary outcomes, respectively. Considering the evolution after the initial 3 months, 21 recurrences (19.4%) were observed in a period of one year of follow-up. The recurrence-free survival rates in the paroxysmal and persistent groups were 89.2% and 67.4% respectively. The mean procedure time was 96.5 ± 29.3 minutes and the mean fluoroscopy time was 29.6 ± 11.1 minutes. Five (4.6%) complications were observed, none of which were fatal. The level of significance adopted was 5%. The study showed results similar to others in the literature and concluded that cryoablation for electrical isolation of pulmonary veins is a safe and effective method for treating AF. In our second study, we evaluated the difference in the results of the procedure, depending on the team's learning curve. For this analysis, patients were divided into quartiles according to the chronological order of the procedures, with quartile one being the most remote and quartile four being the most recent. The distribution of the variables age, increase in AE, CHA2DS2VASc, classification of AF and recurrence rate in Blanking were similar between the quartiles and did not present a statistically significant difference. We observed a progressive decrease in the recurrence rate up to one year, a progressive decrease in the variables fluoroscopy time and AE time, and a progressive increase in the proportion of patients who reached established criteria for tissue injury efficacy (time for vein isolation less than 40 seconds and minimum cooling temperature below -40°C). In our second study, the evolutionary analysis of variables according to the dates of the procedures suggested a stabilization of the learning curve based on 100 procedures performed.
Palavras-chave: Fibrilação atrial
Ablação
Crioablação
Isolamento de veias pulmonares
Curva de aprendizado
Atrial fibrillation
Ablation
Cryoablation
Pulmonary vein isolation
Learning curve
Área(s) do CNPq: CIENCIAS DA SAUDE::MEDICINA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Sigla da instituição: UERJ
Departamento: Centro Biomédico::Faculdade de Ciências Médicas
Programa: Programa de Pós-Graduação em Ciências Médicas
Citação: BOGHOSSIAN, Silvia Helena Cardoso. Crioablação da fibrilação atrial: eficácia, segurança e análise da curva de aprendizado do método. 2020. 99 f. Tese (Doutorado em Ciências Médicas) – Faculdade de Ciências Médicas, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2020.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://www.bdtd.uerj.br/handle/1/18519
Data de defesa: 18-Nov-2020
Aparece nas coleções:Doutorado em Ciências Médicas

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Tese - Silvia Helena Cardoso Boghossian - 2020 - Completa.pdf2,06 MBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.