Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.bdtd.uerj.br/handle/1/20078
Tipo do documento: Dissertação
Título: Uma cartografia das encruzilhadas da psicologia na socioeducação
Título(s) alternativo(s): Cartography about the arduous challenges of psychology in socio-education
Autor: Andrade, Francyne dos Santos 
Primeiro orientador: Uziel, Anna Paula
Primeiro membro da banca: Arantes, Esther Maria de Magalhães
Segundo membro da banca: Hernández, Jimena de Garay
Terceiro membro da banca: Bicalho, Pedro Paulo Gastalho de
Resumo: A presente pesquisa se debruça sobre as práticas das psicólogas que atuam no Departamento Geral de Ações Socioeducativas, instituição responsável pela execução das medidas socioeducativas em meio fechado no Rio de Janeiro. Identificamos que embora a temática da Socioeducação esteja presente em diversos estudos, há ainda lacunas na literatura a respeito das especificidades da Psicologia nesse contexto, sendo privilegiadas as discussões em torno da efetivação das políticas públicas conforme as legislações, idade penal e o fenômeno da violência urbana. Nosso objetivo consiste em mapear as diferentes práticas psi no contexto das medidas de internação e semiliberdade, bem como na internação provisória (acautelamento), e os diferentes planos de forças que incidem sobre a atuação profissional nesses espaços. Apostamos na cartografia como referencial teórico-metodológico que nos permite acompanhar esse conjunto de forças, algo que consideramos como sendo dinâmico e processual. Nossa primeira questão, aquela que se entende como “problema de pesquisa”, mas que pensamos mais como um fio condutor, parte da pergunta: Que versões da Socioeducação são experienciadas pelas psicólogas que atuam na privação de liberdade? Observamos que no acúmulo de experiências compartilhadas pelas profissionais, inúmeros desafios se apresentam. A começar pelo esvaziamento dos sentidos socioeducativos em detrimento de uma lógica de (in)segurança, calcada em uma política de preservação da ordem que acompanha a rotina institucional. Além disso, há uma gama de expectativas, interferências e desqualificações pelos diferentes atores que compõem o sistema socioeducativo, que tentam reduzir o papel das psicólogas a meras “fazedoras de relatório” e “enxugadoras de gelo”. Diante das encruzilhadas que se apresentam à atuação profissional, um cruzamento de caminhos com vários pontos de partida e de chegada, a Psicologia mostra sua força através da escuta atenta às subjetividades, no acolhimento às alteridades e as diferenças que se produzem nos mais diversos encontros, no cuidado com adolescentes, famílias e equipes, na denúncia às estratégias de extermínio físico e simbólico de nossas juventudes, alicerçada na perspectiva de garantia de direitos e na aposta de afirmação da vida em todas as suas intensidades.
Abstract: This research focuses on the practices of psychologists at the “Departamento Geral de Ações Socioeducativas”, the institution responsible for carrying out socio-educational measures in enclosed environments in Rio de Janeiro. Although the Socio-education subject has been present in several pieces of research so far, there are some lacunas in the literature regarding the specifications of Psychology in this context, compared with the fact that discussions around the effectiveness of public policies according to legislation, criminal age, and the phenomenon of urban violence are being privileged. The objective is to map the different psi-practices related to committal and semi-liberty measures context, such as in provisory committal (precaution), and the various "force plan" methods that concern professional performance in these spaces. Cartography is a theoretical and methodological foundation that allows people to pursue this "set of forces" as something considered dynamic and procedural. The first point of investigation derives from the question: What versions of socio-education are experienced by psychologists who work in deprivation of liberty? Numerous challenges are present in the accumulation of shared experiences by professionals. Beginning with the emptiness of socio-educational meanings and the chance on the logic of (in)security, which is based on a preserving policy of the order that accompanies the institutional routine. A range of expectations, interferences, and disqualifications made by the various parts that compose the socio-educational system, try to reduce the role of psychologists to mere report makers and pointless.Facing the real challenges that are current in professional practice, Psychology shows its strength through attentive listening to the subjectivities that are being comprised, in providing comfort to the distinctiveness that is produced in most encounters, in caring for adolescents, families, and groups of people, based on the perspective of guaranteeing rights and on the commitment to assure life in all its intensity.
Palavras-chave: Práticas psi
Atuação profissional
Sistema socioeducativo
Privação de liberdade
Psy practices
Professional performance
Socio-educational system
Deprivation of liberty
Área(s) do CNPq: CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA::PSICOLOGIA SOCIAL
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Sigla da instituição: UERJ
Departamento: Centro de Educação e Humanidades::Instituto de Psicologia
Programa: Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social
Citação: ANDRADE, Francyne dos Santos. Uma cartografia das encruzilhadas da psicologia na socioeducação. 2023. 199 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social) – Instituto de Psicologia, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2023.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://www.bdtd.uerj.br/handle/1/20078
Data de defesa: 6-Jun-2023
Aparece nas coleções:Mestrado em Psicologia Social

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Dissertação - Francyne dos Santos Andrade - 2023 - Completa.pdf1,95 MBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.