Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.bdtd.uerj.br/handle/1/20547
Tipo do documento: Tese
Título: A positividade como caminho para desenvolver a resiliência em adolescentes com câncer
Título(s) alternativo(s): Positivity as a way to develop resilience in adolescents with cancer
Autor: Santos, Daniele Borges de Mello dos 
Primeiro orientador: Oliva, Angela Donato
Primeiro membro da banca: Soares, Adriana Benevides
Segundo membro da banca: Penido, Maria Amélia
Terceiro membro da banca: Carvalho, Marcele Amélia R. de
Quarto membro da banca: Aguiar, Aline Melo de
Resumo: O presente estudo está inserido no campo teórico da psicologia positiva e investiga a relação entre dois construtos: a positividade (emoções positivas) e a resiliência na perspectiva de adolescentes com câncer. Objetivos: Identificar a frequência das emoções positivas e negativas dos participantes. Identificar o índice de resiliência dos participantes. Tentar verificar se as variáveis (emoções positivas e resiliência) estão relacionadas. Método: trata-se de um estudo exploratório descritivo. Participantes: 10 adolescentes, entre 12 e 18 anos com câncer em tratamento. Instrumentos: teste de positividade e escala de resiliência. Entrevista semi-estruturada. Procedimento: a pesquisa foi desenvolvida na casa Ronald, situada na cidade do Rio de Janeiro. Os participantes assinaram junto com seus responsáveis o termo de consentimento livre e esclarecido. Realizaram os testes e responderam à entrevista. Resultados e discussão: O teste de positividade mostrou um índice maior de emoções positivas do que emoções negativas. As emoções positivas mais pontuadas foram: gratidão, amor, esperança e interesse. Sobre a escala de resiliência, todos os participantes exibiram alto índice de resiliência. Os dados qualitativos oriundos da entrevista e da observação de campo geraram as seguintes categorias: fatores protetivos (espiritualidade; integração social; ambiência familiar; significado derivado da esperança; enfrentamento corajoso e autotranscendência) e; fatores de risco (incertezas em relação aos efeitos da doença; e enfrentamento defensivo/evitativo) (Haase et al., 2017). Foi utilizada a correlação de Spearman para medir a relação entre as categorias e o índice de resiliência. O escore de resiliência não apresentou relação significativa com nenhuma das categorias estudadas. Contudo, a espiritualidade apresentou escore aproximado com a resiliência. As categorias que mais se destacaram foram: espiritualidade, sentido derivado da esperança e autotranscendência. Conclusão: Embora não tenha sido possível apontar uma correlação de dependência estatística entre emoções positivas e resiliência, ambas apresentaram índices elevados no grupo investigado, sugerindo uma relação entre as duas variáveis. Mediante os resultados encontrados, foram propostas algumas práticas complementares: exercício contínuo da gratidão, fortalecimento da espiritualidade, promoção de um espaço de escuta e voz ao adolescente com câncer. Sugere-se que essas medidas abarquem o adolescente com câncer, seus familiares e a equipe de saúde com o objetivo de promover aumento do bem-estar e florescimento a todos os envolvidos.
Abstract: This study is inserted in the theoretical field of positive psychology and investigates the relationship between two constructs: positivity (positive emotions) and resilience from the perspective of adolescents with cancer. Objectives: Identify the frequency of participants' positive and negative emotions. Identify the participants' resilience index. Try to see if the variables (positive emotions and resilience) are related. Method: this is an exploratory descriptive study. Participants: 10 adolescents, between 12 and 18 years old, with cancer undergoing treatment. Instruments: positivity test and resilience scale. Semi structured interview. Procedure: the research was carried out at the Ronald house, located in the city of Rio de Janeiro. Participants signed an informed consent form with their guardians. They performed the tests and responded to the interview. Field information was gathered in the in-person mode, within a 3-month interval. Results and discussion: The positivity test showed a higher rate of positive emotions than negative emotions. The most scored positive emotions were: gratitude, love, hope and interest. On the resilience scale, all participants exhibited a high resilience index. Qualitative data from the interview and field observation generated the following categories: protective factors (spirituality; social integration; family atmosphere; meaning derived from hope; and courageous confrontation and transcendence) and; risk factors (uncertainties regarding the effects of the disease; and defensive/avoidant coping) (Haase et al., 2017). Spearman's correlation was used to measure the relationship between the categories and the resilience index. It was found that the resilience score did not present a significant relationship with any of the studied categories. However, spirituality scored close to resilience. The categories that stood out the most were: spirituality, meaning derived from hope and transcendence. Conclusion: Although it was not possible to point out a correlation of statistical dependence between positive emotions and resilience, both had high rates in the investigated group, suggesting a relationship between the two variables. Based on the results found, some complementary practices were proposed: continuous exercise of gratitude, strengthening of spirituality, promotion of a space for listening and voice to adolescents with cancer. It is suggested that these measures include the adolescent with cancer, their families, and the health team, with the objective of promoting an increase in the well-being and flourishing of everyone involved.
Palavras-chave: Emoções positivas
Resiliência
Adolescência
Câncer
Positive emotions
Resilience
Adolescence
Cancer
Área(s) do CNPq: CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA::PSICOLOGIA SOCIAL
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Sigla da instituição: UERJ
Departamento: Centro de Educação e Humanidades::Instituto de Psicologia
Programa: Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social
Citação: SANTOS, Daniele Borges de Mello dos. A positividade como caminho para desenvolver a resiliência em adolescentes com câncer. 2021. 90 f. Tese (Doutorado em Psicologia Social) - Instituto de Psicologia, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2021.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://www.bdtd.uerj.br/handle/1/20547
Data de defesa: 27-Ago-2021
Aparece nas coleções:Doutorado em Psicologia Social

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Tese - Daniele Borges de Mello dos Santos - 2021 - Completa.pdf829,29 kBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.