Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.bdtd.uerj.br/handle/1/21917
Tipo do documento: Tese
Título: Estudo dos potenciais antitumoral e mutagênico das frações do extrato foliar de Hovenia dulcis Thunberg (Rhamnaceae)
Título(s) alternativo(s): Study of antitumor and mutagenic potentials of the leaf extract fractions of Hovenia dulcis Thunberg (Rhamnaceae).
Autor: Araújo, Luana Brito do Nascimento de 
Primeiro orientador: Dantas, Flávio José da Silva
Primeiro coorientador: Albarello , Norma
Segundo coorientador: Mencalha, André Luiz
Primeiro membro da banca: Silva Neto, Sebastião José da
Segundo membro da banca: Freitas, Antonio Carlos de
Terceiro membro da banca: Fonseca, Adenilson de Souza da
Quarto membro da banca: Souza, Marco Andre Alves de
Resumo: O uso de plantas é uma forma antiga de tratamento de doenças, adotada por praticamente todos os povos do mundo. Hovenia dulcis Thunberg é popularmente conhecida como uva-do-japão, ocorrendo naturalmente na China, Japão e Coréias. A espécie, encontrada no sul e sudeste do Brasil, apresenta atividades biológicas importantes, destacando-se a atividade anti-inflamatória, hepatoprotetora, hipoglicemiante e antineoplásica, sobre diversos tipos celulares. Este trabalho visou estudar vias de resposta relacionadas aos potenciais antioxidante, mutagênico, antitumoral e anti-inflamatório frente às frações do extrato etanólico de folhas de H. dulcis, indicando os componentes farmacologicamente ativos. Neste trabalho, os extratos de folhas foram preparados em etanol 95% e posteriormente particionados, usando solventes de polaridades crescentes (hexano, diclorometano, acetato de etila e butanol). Cepas de Saccharomyces cerevisiae FF18733(selvagem) e CD138 (mutante) foram utilizadas como modelos biológicos neste estudo. Ambas foram avaliadas quanto à inativação celular, inibição de crescimento e mutagênese (ensaio de resistência à canavanina), e colônias petites. Os resultados apontam que, após o tratamento com as frações do extrato, houve uma diminuição em 50% da viabilidade celular em ambas as cepas. No ensaio de crescimento, as cepas foram expostas por 48 horas às frações do extrato de H. dulcis. Foi observada diminuição estatisticamente significativa em ambas as cepas quando comparadas ao controle DMSO 1%. Entretanto, no ensaio de resistência à canavanina, o extrato de H. dulcis se mostrou mutagênico para a cepa mutante (CD138). Nos experimentos para avaliar a perda da função mitocondrial, foi observado que as frações acetato de etila e butanol apresentaram aumento da taxa de colônias petites na cepa mutante (CD138). No ensaio para avaliação da atividade antitumoral, células pulmonares humanas de carcinoma (A549) foram tratadas com diferentes concentrações da fração acetato de etila e butanol, as mais tóxicas para Saccharomyces cerevisiae. Após o período de tratamento de 24 horas, a atividade citotóxica foi analisada pelos métodos de WST-1 e recuperação clonogênica. A dose que inibiu 50% do crescimento celular foi verificada, quando as células foram expostas ao extrato na concentração de 75 e 150 μg/mL respectivamente. Essas concentrações foram testadas na linhagem normal de rim de macaco-verde (Vero). Nesta linhagem também foi observada a diminuição na viabilidade celular, através do ensaio de WST-1, sendo essa diminuição significativamente inferior quando comparada à linhagem tumoral. Já no ensaio de recuperação clonogênica, foi observada diminuição estatisticamente significativa na capacidade mitogênica das células quando comparadas ao controle DMSO1% somente na linhagem A549, quando tratadas com as frações acetato de etila e butanol. Os estudos indicam um potencial mutagênico relatado pela primeira vez para a espécie, o que denota cuidado com o uso não seguro de seus produtos. Mas também mostra que H. dulcis possui características de agente com atividade antitumoral.
Abstract: The use of plants is an ancient way of treating diseases, adopted by practically all people in the world. Hovenia dulcis Thunberg is popularly known as Japanese grape, occurring naturally in China, Japan and the Koreas. The species, found in southern and southeastern Brazil, has important biological activities, highlighting its anti-inflammatory, hepatoprotective, hypoglycemic and antineoplastic activities on various cell types. This work aimed to study response pathways related to antioxidant, mutagenic, antitumor and anti-inflammatory potentials against the ethanol extract fractions of H. dulcis leaves, indicating the pharmacologically active components. In this work, leaf extracts were prepared in 95% ethanol and subsequently partitioned using increasing polarity solvents (hexane, dichloromethane, ethyl acetate and butanol). Saccharomyces cerevisiae FF18733 (wild) and CD138 (mutant) strains were used as biological models in this study. Both were evaluated for cell inactivation, growth inhibition and mutagenesis (canavanin resistance assay) and petite colonies. The results show that, after treatment with the extract fractions, there was a 50% decrease in cell viability in both strains. In the growth assay, the strains were exposed for 48 hours to the H. dulcis extract fractions. A statistically significant decrease was observed in both strains when compared to 1% DMSO control. However, in the canavanin resistance assay, the H. dulcis extract was shown to be mutagenic for the mutant strain (CD138). In experiments to assess the loss of mitochondrial function, it was observed that the ethyl acetate and butanol fractions showed an increase in the rate of petite colonies in the mutant strain (CD138). In the assay to evaluate the antitumor activity, human lung carcinoma cells (A549) were treated with different concentrations of the ethyl acetate and butanol fraction, the most toxic for Saccharomyces cerevisiae. After the 24-hour treatment period, cytotoxic activity was analyzed by WST-1 and clonogenic recovery methods. The dose that inhibited 50% of cell growth was verified when the cells were exposed to the extract at a concentration of 75 and 150 μg/mL, respectively. These concentrations were tested in the normal green monkey kidney lineage (Vero). In this strain, a decrease in cell viability was also observed through the WST-1 assay, this decrease being significantly lower when compared to the tumor strain. In the clonogenic recovery assay, a statistically significant decrease was observed in the mitogenic capacity of cells when compared to DMSO1% control only in the A549 lineage, when treated with ethyl acetate and butanol fractions. The studies indicate a mutagenic potential for the first time reported for the species, which denotes caution with the unsafeuse of its products. But also show that H. dulcis has characteristics of an agent with antitumor activity.
Palavras-chave: Atividade biológica
Linhagem A-549
Linhagem Vero
Saccharomyces cerevisiae
Uva-do-japão.
Plantas medicinais
Agentes antineoplásicos
Biological activity
Lineage A549
Vero lineage
Área(s) do CNPq: CIENCIAS BIOLOGICAS::BOTANICA::BOTANICA APLICADA
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Sigla da instituição: UERJ
Departamento: Centro Biomédico::Instituto de Biologia Roberto Alcantara Gomes
Programa: Programa de Pós-Graduação em Biologia Vegetal
Citação: ARAÚJO, Luana Brito do Nascimento de. Estudo dos potenciais antitumoral e mutagênico das frações do extrato foliar de Hovenia dulcis Thunberg (Rhamnaceae). 2022. 68 f. Tese (Doutorado em Biologia Vegetal) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2022.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://www.bdtd.uerj.br/handle/1/21917
Data de defesa: 7-Fev-2022
Aparece nas coleções:Doutorado em Biologia Vegetal

Arquivos associados a este item:
Arquivo Descrição TamanhoFormato 
Tese - Luana Brito do Nascimento de Araújo - 2022 - Completa.pdf.pdfTese completa1,07 MBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.