Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.bdtd.uerj.br/handle/1/22005
Tipo do documento: Dissertação
Título: “Aiiin, Mona, o babado é forte!”: quando a fofoca joga com a verdade, interroga as amizades e produz sexualidades
Título(s) alternativo(s): “Ohh girl, the tea is strong!”: when gossip plays with the truth, interrogates friendships and produces sexuality
Autor: Martuchi, Rayane Ribas 
Primeiro orientador: Mattos, Amana Rocha
Primeiro membro da banca: Poker, Catarina Decome
Segundo membro da banca: Souza, Leonardo Lemos de
Terceiro membro da banca: Favero, Sofia
Resumo: A fofoca é uma forma de narrativa que estabelece relação dos sujeitos com o mundo. Faz parte do cotidiano das pessoas e informa redes de valores, hegemônicos ou não. A fofoca exerce também sentido educativo quando crianças participam da vida cotidiana e por ela aprendem as normas morais de seus grupos. Contudo, mesmo que historicamente repreendida, por ser uma narrativa extra-oficial, a fofoca margeia a norma e o discurso institucional, escapa pela tangente e percorre corredores, salas, pátios e frestas da escola. O campo de incursão dessa pesquisa de mestrado é uma escola parceira do programa de pós-graduação, de ensino fundamental público, situada na cidade do Rio de Janeiro/RJ. Neste trabalho, apresento os achados de pesquisa surgidos em um ciclo de cinco oficinas com uma turma de quarto ano, com crianças entre nove e dez anos, como participantes. As oficinas debateram as relações intersubjetivas e o tema da fofoca apareceu desde o primeiro encontro, sendo tomada como objeto de pesquisa e material de análise. A partir da indagação sobre o sentido da fofoca entre as crianças, busco refletir os efeitos da fofoca no processo de subjetivação de crianças. As principais interlocuções teórico-metodológicas são autoras dos feminismos interseccionais, estudos críticos da infância, estudos decoloniais, pós estruturalistas e queer, que partem da ideia de produção de saberes situados. A pesquisa-intervenção e diário de campo também compõem o arcabouço metodológico dessa pesquisa. A partir de Foucault, a fofoca é tomada como dispositivo lúdico que faz acessar e produzir opiniões, confissões, prazeres, fantasias, jogos de excitabilidade, normas, crenças, valores hegemônicos, mas também seus questionamentos, inversões e fissuras. A fofoca se mostrou ser uma via por onde as crianças exercitam suas sexualidades, jogam com a ideia de verdade, poder e troca. A fofoca também é um importante elemento na constituição de relações de afeto e amizade, que opera de forma ambivalente nas dinâmicas de aproximação e distanciamento entre as crianças, por ser ora desfrutada como diversão, ora vista como perigosa. Por fim, considera-se a imersão das crianças nas redes sociais como pano de fundo para a intensa enunciação da fofoca, articulada com outras temáticas.
Abstract: Gossip is a form of narrative that establishes a connection between subjects and the world. It is part of people's everyday lives and informs the network of values, whether hegemonic or not. Gossip as a phenomenon also serves an educative purpose when children participate in daily life, learning with it the moral norms of their groups. Despite being historically reprimanded for being an unofficial narrative, gossip lives on the margins of the norm and institutional discourse, escaping through the tangents and weaving through school corridors, rooms, yards, and gaps. This master's thesis research takes place at a public school in Rio de Janeiro, affiliated with the postgraduate program, focusing on the elementary level students. In this present work, I present the research findings from a series of five workshops with a fourth-grade class, involving children aged nine to ten as participants. The workshops debated intersubjective relationships, with gossip emerging on the field as a research object and analytical material from the first meeting. Questioning the meaning of gossip among children, I aim to reflect on its effects on the process of children's subjectivation. The main theoretical-methodological dialogues involve authors from intersectional feminisms, critical childhood studies, decolonial studies, post-structuralism, and queer theories rooted in the idea of situated knowledge production. The research-intervention and field diary also constitute the methodological framework. From Foucault, gossip is taken as a playful device that accesses and produces opinions, confessions, pleasures, fantasies, excitability games, norms, beliefs, hegemonic values, but also their questioning, inversions and ruptures. Gossip has proven to be a channel through which children explore their sexualities, play with the notion of truth, power, and exchange. It is also a significant element in the formation of affectionate and friendly relationships, in which it operates in an ambivalent way in the approaching and distancing dynamics between them, for being sometimes enjoyed as entertainment, and other times seen as dangerous. To conclude, the immersion of children in social networks is considered as a backdrop for the intense enunciation of gossip, interconnected with other themes.
Palavras-chave: Infância
Fofoca
Sexualidade
Amizade
Verdade
Childhood
Gossip
Sexuality
Friendship
Truth
Área(s) do CNPq: CIENCIAS HUMANAS::PSICOLOGIA::PSICOLOGIA SOCIAL
Idioma: por
País: Brasil
Instituição: Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Sigla da instituição: UERJ
Departamento: Centro de Educação e Humanidades::Instituto de Psicologia
Programa: Programa de Pós-Graduação em Psicologia Social
Citação: MARTUCHI, Rayane Ribas. “Aiiin, Mona, o babado é forte!”: quando a fofoca joga com a verdade, interroga as amizades e produz sexualidades. 2024. 113 f. Dissertação (Mestrado em Psicologia Social) - Instituto de Psicologia, Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2024.
Tipo de acesso: Acesso Restrito
URI: http://www.bdtd.uerj.br/handle/1/22005
Data de defesa: 8-Fev-2024
Aparece nas coleções:Mestrado em Psicologia Social



Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.