Exportar este item: EndNote BibTex

Use este identificador para citar ou linkar para este item: http://www.bdtd.uerj.br/handle/1/4344
Tipo do documento: Dissertação
Título: Desigualdades socioeconômicas na sobrevida de pacientes com câncer de mama, próstata e pulmão: um estudo de base populacional em Curitiba.
Título(s) alternativo(s): Socioeconomic inequalities in survival of patients with breast, prostate and lung cancer: a population-based study in Curitiba.
Autor: Leite, Pedro Henrique Amparo da Costa 
Primeiro orientador: Mendonça, Gulnar Azevedo e Silva
Primeiro coorientador: Valente, Joaquim Gonçalves
Primeiro membro da banca: Junger, Washington Leite
Segundo membro da banca: Daumas, Regina Paiva
Terceiro membro da banca: Nascimento, Maria Isabel do
Resumo: A incidência e mortalidade do câncer vêm aumentando consideravelmente entre os países de baixa e média renda. Paralelamente, melhoras nos métodos de detecção e tratamento da doença têm permitido ganhos significativos na sobrevida dos pacientes acometidos pelos cânceres mais frequentes. No entanto, esse aumento tem sido muito mais expressivo na população em posição socioeconômica mais favorável. O presente estudo teve por objetivo analisar o efeito das desigualdades socioeconômicas na sobrevida de pacientes diagnosticados com câncer de mama, próstata e pulmão, no período de 1998 a 2007, na cidade de Curitiba, Paraná. Trata-se de um estudo populacional no qual a fonte de informação foi o Registro de Câncer de Base Populacional (RCBP) de Curitiba. A desigualdade socioeconômica foi medida por meio de quintis do Índice de Desenvolvimento Humano Municipal (IDHM), calculado para as áreas de residências denominadas Unidade de Desenvolvimento Humano (UDH). As UDHs são aglomerados de setores censitários homogêneos do ponto de vista socioeconômico. Todos os pacientes de câncer foram alocados nas UDHs de acordo com o endereço de residência. Ao todo foram analisadas informações de 9.639 pacientes com câncer: 3.063 com câncer de próstata, 5.033 com câncer de mama e 1.543 com câncer de pulmão, sendo 929 no sexo masculino e 614 no sexo feminino. Utilizou-se o método de sobrevida líquida de um e cinco anos por sexo e quintis de IDHM. A sobrevida líquida é definida como a sobrevida estimada para um grupo de pacientes em uma situação hipotética na qual o câncer de interesse é a única causa de morte possível. Uma análise de sensibilidade foi realizada usando o padrão de mortalidade por posição socioeconômica da Inglaterra de forma a simular tábuas de vida específicas por posição socioeconômica em Curitiba. O efeito da desigualdade socioeconômica, representada pela diferença entre o quinto e primeiro quintis, em sobrevida líquida de cinco anos foi maior do que a de um ano para os três tipos de câncer. A sobrevida líquida de cinco anos dos pacientes com câncer de próstata e mama residentes em áreas mais afluentes foi, respectivamente, 24,2% e 30,2%, maior do que aquela observada entre pacientes residentes em áreas mais desfavorecidas. Esses diferenciais aumentam significativamente em relação ao câncer de pulmão: 83,7% entre os homens e 103,8% entre as mulheres. Embora o uso de tábuas de mortalidade específicas para os quintis de IDHM atenue o efeito da desigualdade, esta ainda se manteve expressiva. A sobrevida de câncer é uma informação essencial para elaboração de políticas de saúde que visem aumentar não só a expectativa de vida, mas também a qualidade de vida dos pacientes com câncer. Assim, faz-se necessário que a vigilância de sobrevida se torne um processo contínuo no Brasil.
Abstract: Cancer incidence and mortality have increased considerably among low and middle-income countries. At the same time, improvements in the methods of detection and treatment have allowed significant gains in survival of cancer patients. However, this increase has been much more significant in the most socioeconomically privileged population groups. We aimed to analyze the effect of socioeconomic inequalities in the survival of patients diagnosed with breast, prostate and lung cancers, from 1998 to 2007, in the city of Curitiba, Paraná, Brazil. The source of information for the present population-based study was the Population-based Cancer Registry (PBCR) of Curitiba. Socioeconomic inequalities were measured by quintiles of the Municipal Human Development Index (MHDI) calculated for areas of residence called Human Development Units (HDU). HDUs are socioeconomically homogeneous census sector clusters. All cancer patients were allocated to a HDU according to home address. In total, we analyzed the information of 9,639 cancer patients: 3,063 with prostate cancer, 5,033 with breast cancer and 1,543 with lung cancer, 929 male and 614 female. We estimated the one-year and five-year net survival by sex and MHDI quintiles. Net survival is defined as the estimated survival of a group of patients in the hypothetical situation in which the cancer of interest is the only possible cause of death. Sensitivity analysis was performed using the English mortality pattern by deprivation to simulate socioeconomic-specific life tables in Curitiba. The effect of socioeconomic inequalities, represented by the survival gap between the fifth and first quintiles, in the five-year net survival was larger than for one-year, for the three types of cancer. Five-year net survival of prostate and breast cancer patients living in more affluent areas was, 24.2% and 30.2%, respectively, higher than the figures for patients from more deprived areas. These gaps increased significantly in lung cancer: 83.7% among men and 103.8% for women. Although using specific life tables by MHDI quintiles mitigated the effect of inequality, the gap still remained significant. Cancer survival information is essential in the development of health policies aimed at increasing not only life expectancy, but also the quality of life of cancer patients. Surveillance of population-based survival should therefore become an essential ongoing process in Brazil.
Palavras-chave: Cancer
Inequality
Relative survival
Socioeconomic
Survival
Câncer
Desigualdade
Sobrevida
Sobrevida relativa
Socioeconômico
Área(s) do CNPq: CNPQ::CIENCIAS DA SAUDE::SAUDE COLETIVA
Idioma: por
País: BR
Instituição: Universidade do Estado do Rio de Janeiro
Sigla da instituição: UERJ
Departamento: Centro Biomédico::Instituto de Medicina Social
Programa: Programa de Pós-Graduação em Saúde Coletiva
Citação: LEITE, Pedro Henrique Amparo da Costa. Desigualdades socioeconômicas na sobrevida de pacientes com câncer de mama, próstata e pulmão: um estudo de base populacional em Curitiba.. 2016. 69 f. Dissertação (Mestrado em Ciências Humanas e Saúde; Epidemiologia; Política, Planejamento e Administração em Saúde; Administra) - Universidade do Estado do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2016.
Tipo de acesso: Acesso Aberto
URI: http://www.bdtd.uerj.br/handle/1/4344
Data de defesa: 15-Abr-2016
Aparece nas coleções:Mestrado em Saúde Coletiva

Arquivos associados a este item:
Arquivo TamanhoFormato 
Dissertacao Pedro Leite.pdf1,37 MBAdobe PDFBaixar/Abrir Pré-Visualizar


Os itens no repositório estão protegidos por copyright, com todos os direitos reservados, salvo quando é indicado o contrário.